Acordo Embrapa Hortaliças-SESC reforça programas de segurança alimentar

Parcerias geralmente sempre são muito bem-vindas, principalmente quando as partes envolvidas têm metas convergentes e atividades que se complementam. O acordo assinado no dia 28 de novembro de 2018 entre a Embrapa Hortaliças (Brasília, DF) e a Mesa Brasil SESC é um bom exemplo dessa conexão. Estruturado sobre as linhas do projeto “Comunicação e transferência de tecnologia para redução das perdas pós-colheita e do desperdício de hortaliças do campo à mesa”, o acordo apresenta planos de ação em torno dos temas da redução do desperdício e da alimentação saudável.

A atuação das duas instituições em programas relacionados à segurança alimentar – o Hortaliça não é só Salada, da Embrapa Hortaliças, e o Mesa Brasil, do Sesc – representou o pano de fundo do acordo firmado entre as partes, de acordo com a pesquisadora Milza Lana. “As reuniões promovidas pelo Comitê Gestor da Rede Brasileira de Banco de Alimentos estimularam as discussões sobre uma possível parceria entre a Unidade e o Sesc, tendo em vista a temática em comum, e que resultou nesse trabalho conjunto”.

Implementado pelo SESC desde 2003, o Mesa Brasil é um programa de segurança alimentar e nutricional de combate à fome e ao desperdício de alimentos. O programa tem entre suas atribuições o recolhimento de alimentos para serem doados a instituições e entidades que abrigam pessoas em situação de vulnerabilidade social. Incluem-se nesse painel as ações de apoio nutricional desenvolvidas pela instituição ao comerciário.

Para a diretora social do programa Ana Cristina Barros, a parceria veio agregar valor ao trabalho desenvolvido pelo Mesa Brasil, tendo em vista o seu alinhamento com as perspectivas das duas instituições. “Nesse trabalho, exploramos o viés da assistência alimentar, mais imediato, e o educativo, que pode envolver informações sobre o aproveitamento de partes dos alimentos que comumente são descartadas, a exemplo das cascas de frutas e hortaliças, e que têm um enorme valor nutricional”, explica a diretora.

Complementando, ela chama a atenção para o que considera o tripé de sustentabilidade dos dois programas, o que mostra a exata dimensão desse trabalho conjunto: “Contemplamos o viés econômico, social e ambiental em nossas atividades e só esses fatores já justificariam a existência do acordo entre o SESC e a Embrapa”.

No caso do “Hortaliças não é só Salada”, idealizado e desenvolvido pela pesquisadora, o programa tem por objetivo contribuir para o aumento do consumo de hortaliças, ao disponibilizar diversas opções de preparo desses alimentos, por meio de receitas nutritivas, além de práticas e baratas. Com conteúdo disponível no site “Hortaliças não é só salada” (https://www.embrapa.br/hortalica-nao-e-so-salada) e na forma de cartilhas impressas para distribuição.

Maior alcance

Uma das questões realçadas por Milza diz respeito à capacidade de o Mesa Brasil levar essas receitas para os restaurantes do SESC, no Brasil inteiro. Segundo ela, desde a assinatura do contrato, o Mesa Brasil vem testando e colocando no cardápio as receitas que foram incluídas num dos capítulos do livro “Perdas e desperdício de alimentos: estratégias para redução”, lançado no dia 12 de dezembro último pelo Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara dos Deputados.

“Com isso, vamos compartilhar conteúdos com receitas validadas para o público em geral e construir outros novos a partir dos cinco eixos do Hortaliça não é só Salada – Como comprar, conservar e consumir, Hortaliça combina com todas as refeições, Como obter o melhor de cada hortaliça, Hortaliça e dinheiro não se jogam fora e Quem quer saúde vai à feira”.

Fonte: Embrapa

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA